Dicas para transformar seu smartphone em uma estação de trabalho

Gadgets e aplicativos potencializam o aparelho e podem transformá-lo em uma estação de trabalho completa na palma da sua mão

P60503-161910
Modelos no mercado, como o MX4, possuem gadgets que permitem explorar a versatilidade do smartphone. (Foto: Gabriel Furlan)

Por Gabriel Furlan

Redes sociais, envio de e-mails, apresentações, fotografia, relatórios… Quem faz uso do celular como um instrumento de trabalho busca sempre o que há de mais avançado na hora de investir em um novo modelo. Segundo dados da Nielsen Ibope – empresa que pesquisa tendências e hábitos dos consumidores de todo o mundo – no final de 2015 o Brasil possui mais de 76 milhões de pessoas que utilizam smartphones para uso pessoal ou corporativo.

Segundo Fernando Oliveira Neto, coordenador de marketing da ViStation, startup brasileira que representa a fabricante de celulares Meizu no país, existem três fatores decisivos para o consumidor comprar um aparelho: custo-benefício, sistema operacional rápido e confiabilidade da marca. “Um smartphone completo e de qualidade precisa oferecer soluções inovadoras e facilitar a vida do usuário. Muitas vezes o modelo é ágil e bonito, porém não vai além das funções de envio de e-mails, aplicativos de comunicação e armazenamento de arquivos. É preciso avaliar dentre as opções se aquela é a solução ideal para o seu trabalho”, completa.

Com isso, em parceria com o coordenador de marketing, o Digitais compartilha cinco dicas que podem transformar um smartphone em uma estação de trabalho moderna e compacta:

  • Compartilhe: Atualmente é possível compartilhar arquivos salvos em um celular por e-mail ou conexão bluetooth. Entretanto, quase nenhum modelo oferece o compartilhamento em tempo real, onde todos podem acompanhar junto com o apresentador o que está em exibição. “Hoje existem drives que podem conectar até oito smartphones a uma pasta específica. Isso agiliza o acesso e facilita o salvamento de arquivos, sem necessitar de uma conexão de internet”, destaca o coordenador.

 

  • Ao vivo: Reuniões à distância e apresentação online são recursos adotados pelas empresas para reduzir custos de viagens e agilizar o contato entre pessoas de diferentes regiões. Aplicativos como Google Hangout, Skype, Periscope e até mesmo uma ferramenta já disponível no Facebook permitem, via smartphone, o encontro online para reuniões e até realizar lançamentos para o público em massa. Porém, para que todas essas funções ocorram com sucesso, o aparelho precisa ter funções específicas e de qualidade. “Uma câmera com boa resolução e o acesso rápido à internet são indispensáveis. O modelo precisa ter qualidade de vídeo caso a equipe queira apresentar um documento ou mostrar um local específico”, relata Oliveira.

 

  • Do micro para o macro: Em uma reunião para muitas pessoas, ou palestras, é muito comum o uso de arquivos visuais para apresentações – o Power Point, por exemplo. Para exibir tudo isso, é necessário ter uma fonte onde se encontra o material (computador) e um projetor: equipamentos que, por conta de seu tamanho inviabilizam a locomoção de um lado para o outro. Para isso existem os gadgets conhecidos como ‘cast’, que conectam smatphones ou tablets e permitem a transmissão da tela do dispositivo em uma televisão. Como é o caso do ChromeCast.

 

  • Backup: Ação básica para quem evitar perdas drásticas de arquivos em casos de panes nas máquinas. Para isso a tecnologia está ao nosso lado permitindo o armazenamento desses dados em “nuvens” que são servidores online e que podem ser acessados de qualquer outro dispositivo. O Dropbox é um exemplo disso.

 

  • Mais bateria: Quem já ficou sem bateria fora de casa conhece o desconforto que essa situação traz. Esse quesito tem sido um grande desafio para os fabricantes de smartphones. Em alguns modelos existem funções que podem aumentar o tempo de uso da bateria. Caso não tenham, algumas medidas simples podem melhorar o desempenho do aparelho no que diz respeito à durabilidade da bateria: diminuir o brilho da tela; desativar os dados móveis quando não estiver usando e ativar o modo econômico de energia. O que tem feito a bateria dos celulares durar mais tempo longe da tomada são os power banks, baterias portáteis que recarregam o celular sem precisar de uma fonte de energia tal como uma tomada. “Para quem utiliza o smartphone como ferramenta de trabalho, as baterias portáteis devem estar sempre presentes na bolsa. No mercado há modelos que possuem um power bank com múltiplas funções, como a projeção de um teclado digital e a conexão de drivers de compartilhamento”, finaliza o coordenador.

Editado por: Marilisy Mendonça

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s