Alimentação pode auxiliar na memória e facilitar aprendizado

Por Fernanda Lavorini

Os alimentos podem auxiliar a memória, principalmente dos alunos que dependem de concentração para o aprendizado ao se depararem com provas de vestibulares que exigem alto nível de memorização.

Segundo a nutricionista Gabriela Peres, do Instituto de Psicologia e Controle do Stress que trabalha na clínica Homeostase e na Onodera Cambuí, os alimentos que consumimos ao longo do dia podem influenciar na capacidade de memorizar informações, além da capacidade de concentração.

Atuação da memória

Existem três processos diferentes na memória humana, operações de codificação, retenção e recuperação. O primeiro é a Memória Sensorial – Motora que reconhece padrões por meio da percepção dos sentidos retém por segundos a imagem sensorial e a codificação.

O segundo processo é a Memória de Curto Prazo, que ao receber informações já codificadas, a informação pode neste caso ser retida por minutos que pode ser descartada ou utilizada. O terceiro tipo é a Memória de Longo Prazo, que é caracterizada pelo armazenamento de capacidade e tempo ilimitado que podem durar minutos, horas, meses e décadas, na qual é armazenada as informações recebidas da Memória de Curto Prazo.

Entenda o funcionamento da memória

Untitled Infographic (6)
Crédito: Fernanda Lavorini

 

Alimentos auxiliares

Alimentos como repolho, lentilha, couve-flor, ovos e produtos derivados da soja (como, por exemplo, o tofu) são ricos em colina. “Esse componente do complexo B é transformado, no cérebro, em um neurotransmissor responsável pelo envio de informações entre uma célula nervosa e outra, denominado acetilcolina. A falta desse neurotransmissor pode gerar vários níveis de perda de memória”, esclarece Gabriela.

De acordo com a nutricionista, outro neurotransmissor importante para a manutenção da memória é a dopamina, formada por ferro e vitamina B3 (niacina). Carne bovina, leite, ovos, amendoim e gérmen de trigo são boas fontes de vitamina B3; espinafre, couve, lentilha, fígado, agrião e quinoa são alimentos fonte de ferro.

A nutricionista comenta que a deficiência de vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B5, B6, B12, biotina e ácido fólico) pode trazer perda de memória, problemas de concentração e de aprendizado e esquecimento geral. “Isso acontece porque esse grupo de vitaminas é essencial para a produção de energia celular, principalmente para as células do cérebro”.

Algumas fontes de vitaminas do complexo B são: brócolis, ervilha, arroz integral, nozes, abacate, gérmen de trigo, cogumelos e espinafre.

“Os ácidos graxos ômega-3 são essenciais para o funcionamento geral do sistema nervoso central, podendo trazer perda de memória e dificuldade de concentração quando consumidos em pequena quantidade”. Estão presentes principalmente em peixes como o salmão, arenque e sardinha, e também em sementes como linhaça e chia.

Editado por Vitor Domingues

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s