Casos de sífilis no Brasil aumentam 30%

Por Ana Guimarães

30%: esse é número que representa o aumento de casos de sífilis no Brasil em 2016 – 20% a mais do que nos anos de 2014 e 2015.

De acordo com a ginecologista Ana Paula Coral  esse aumento se deu por conta da queda no uso de preservativos entre jovens de 20 a 24 anos. “Essa é a única razão, porque não existe outra maneira de se transmitir a doença se não a relação desprotegida”, afirma a médica.

O que é sífilis?

A sífilis é uma doença se sexualmente transmissível causada pela bactéria trepodema pallidum que entra no organismo do individuo através das membranas mucosas do local da infecção, indo parar na corrente sanguínea provocando uma grande infecção, podendo apresentar vários estágios e tempo de duração.

Segundo a ginecologista, a doença passa por 3 fases:

Sífilis primária

Estágio inicial da doença, o aparecimento de cancro duro 3 semanas após o contágio, pequenas lesões avermelhadas nas regiões genitais que acabam desparecendo 5 dias depois do surgimento, mas não significa a cura da doença

Sífilis secundaria

Aparece uma erupção cutânea que é intensa perceptível  6 semanas após o contato, observa-se também o aumento nos gânglios linfáticos assim como dores de garganta, cabeça e queda de cabelo.

Sífilis terciária

Essa fase acontece como consequência de um tratamento realizado de forma não adequada. Assim surgem lesões em várias partes do corpo, principalmente pele, boca, nariz, além de náuseas, vômitos, rigidez no pescoço, pupilas dilatadas.

O diagnóstico

Ana Paula explica que para detectar a doença é necessário que o ginecologista verifique a região intima do paciente e procurar saber se ele teve ou não relação sexual sem camisinha. Em caso de não aparecimento de nenhum sintoma externa, o médico deve solicitar um exame VDRL ( Venereal Disease Research Laboratory), que identifica a bactéria trepodema pallidum.

A cura

O tratamento para a sífilis pode ser feito com injeções de penicilina, quando a doença está em fase inicial, basta apenas uma dose da injeção para a ferida sarar. Porém, se já esta em fase secundária ou terciária, o paciente deve tomar a injeção 1 vez por semana nas nádegas. No caso de alergia ao remédio, opta-se pela dessensibilização do mesmo. Essa possibilidade consiste em reeducar o sistema imunológico, uma vez que não existem outros medicamentos capazes de combater a bactéria.

Para confirmar a cura devem ser realizados exames exatos:

Exame para confirmar a cura VDRL
Sífilis primária em 3,6 e12 meses
Sífilis secundária em 3,6,12 e 18 meses
Sífilis terciária em 3,6,12,18,36 e 72 meses

Editado por Letícia Baptista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s