Influência de escolas pode transformar leitura em obrigação para jovens

Por Ana Guimarães

A leitura na vida dos jovens muitas vezes é mais uma obrigação do que um prazer, e o problema pode estar nas escolas. Levantamento feito pelo Digitais em 2015 mostrou que as bibliotecas públicas emprestavam quase 42% menos livros nos últimos anos.

Para Fabiano Ormaneze, professor da faculdade de jornalismo da PUC-Campinas e mestre em linguística na área de análise do discurso, o desinteresse de jovens por livros se encontra na falta de incentivo das escolas em estimular desde cedo uma leitura por prazer.

img_6813
Fabiano Ormaneze, professor da faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas (Foto: Ana Guimarães)

O professor explica que é na escola que o gosto pela leitura dos jovens deve ser aguçado e é neste momento que as escolas têm que reforçar a interação para que o hábito de ler não se torne cansativo e apenas uma obrigação, já que esse perfil de público tende a perder a atenção rapidamente.

Ormaneze diz que os jovens vivem em constate evolução e que acompanham junto ao avanço da internet, o desinteresse na hora de ler os livros clássicos que possui conteúdo histórico pode estar ligado a tecnologia que acaba por mudar o foco dos jovens para livros de romance, livros que falam sobre a vida de celebridades, entre outras categorias que são sucessos de venda.

Mas esse hábito não passa de uma fase momentânea. Isso pode esta relacionado à identificação, uma vez que as pessoas tendem a ler aquilo que convém à elas e que de alguma forma atende os seus próprios interesses.

fullsizerender
Jane Rodrigues em mais uma de suas leituras (Foto: Ana Guimarães)

Para Jane Rodrigues (20), a leitura tem outro valor. Para ela, cada leitura adquire uma experiência única e que segundo ela o conhecimento que os livros trazem não pode ser adquirido de outra maneira. Segundo ela, leitura nunca foi e nunca vai ser uma obrigação, mas sim um grande prazer.

A jovem possui uma coleção com mais de 150 livros de temas variados. Afirma que não tem preferência, que lê um livro por semana nos intervalos do trabalho e nos finais de semana não pode faltar um livro na bolsa que carrega. Ainda diz que sua leitura se baseia no momento em que está vivendo.

Jane afirma que a paixão pelos livros começou cedo, ela afirma que é uma coisa de dentro pra fora e que aumenta cada dia esse amor pelos livros, e diz que os livros são mais completos que os filmes nos cinema.

Editado por Mathias Sallit

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s