Lesões no esporte: os principais cuidados e tratamentos

Por Pedro Alves

No esporte todos estão sujeitos a lesões a todos os momentos. Qualquer atleta, seja profissional ou amador, tem risco de se lesionar por diversos motivos. Essas lesões variam de acordo com o esporte, podem ser musculares ou fraturas, e podem ser causadas pelo desgaste individual ou por algum fator externo. As contusões podem apresentar dor, desconforto e até mesmo a incapacidade de continuar treinando.

Também varia da forma como você se prepara. Se o seu corpo está mais preparado você corre menos risco de se lesionar, assim como se você não tem uma preparação correta, os riscos de uma contusão também são maiores. Existem diversas formas de você se preparar melhor antes de praticar um esporte:

  • Fazer avaliações médicas é um ótimo jeito de você saber o estado que encontra o seu corpo e assim saber  qual exercício é o mais adequado para o seu corpo.
  • Se alongar antes e depois da atividade física é imprescindível, pois ele ajuda a prevenir uma das principais lesões no esporte, as musculares.
  • Usar a técnica adequada para o esporte que você está praticando também ajuda muito na prevenção das lesões. A postura e a respiração também devem ser observadas com cuidado.
  • Escolha os equipamentos corretos para o esporte. Usar uma roupa mais leve, um calçado diferente, assim como capacetes, óculos e outros protetores podem fazer a diferença.
  • Não ultrapasse o seu limite. Muitas das lesões acontecem pelo esforço excessivo do atleta, por isso conheça os seus limites, ninguém é feito de ferro.

Cada esporte tem as suas diferenças. No infográfico abaixo você consegue ver as principais lesões dentro de alguns dos esportes mais populares.

(Créditos: Pedro Alves)
(Créditos: Pedro Alves)

Mesmo com toda a preparação, as lesões podem ocorrer, e na maioria das vezes, essas lesões são musculares. Elas são as mais comuns pois existem três graus para essa contusão, podendo ser uma distensão ou, no caso mais grave, a ruptura completa do músculo.

Os 3 graus da lesão muscular

No grau I, chamada de estiramento, a contusão não causa tanta dor, mas sim um desconforto em uma região específica do corpo. O edema e os hematomas podem variar, mas geralmente não são notáveis sem um exame físico. A sua recuperação é mais fácil e rápida.

No grau II, acontece os mesmos sintomas da lesão de grau I, porém com uma intensidade maior. O desconforto se transforma em uma dor até mesmo em momentos de repousos. Nesses casos ocorrem inflamação no local e a sua recuperação se torna mais lenta.

No grau III, temos a ruptura completa, ou parcial,  do músculo. Quando há uma ruptura no músculo, os movimentos da região afetada pela contusão ficam debilitados.  A dor passa a ser mais intensa e a recuperação passa a ser mais difícil e muito mais lenta, pois na maioria das vezes é necessário uma intervenção cirúrgica.

Romper um músculo ou o ligamento está entre as lesões mais temidas pelos atletas. No futebol ela é mais comum, mas também podem aparecer em diversos outros esportes. Para entender melhor como funciona essa lesão, veja o vídeo abaixo:

Murilo Queirantes, aluno de administração da FACAMP, tem 21 anos e no começo de junho sofreu uma lesão no ligamento do joelho. Para ele “a pior parte é o período que você fica parado. No meu caso eu só vou poder voltar a praticar esportes em janeiro, fevereiro do ano que vem.”

Ele ainda completa dizendo que: “A cirurgia hoje em dia tá bem melhor né, e com a fisioterapia que faço eu consigo não me limitar tanto por causa da lesão.”

A tecnologia no tratamento da lesão

Realmente hoje em dia, a tecnologia vem ajudando, e muito, a medicina esportiva. São novos tratamentos, cirurgias e até mesmo técnicas que são aperfeiçoadas para prevenir o atleta de uma lesão.

Uma dessas técnicas que foram aperfeiçoadas é a artroscopia. Hoje em dia ela pode ser acompanhada por vídeo, assim como a maioria das cirurgias,  além de ser um método muito mais eficaz e que reduz o tempo de recuperação do atleta.

A terapia a laser é outra excelente técnica para fazer diagnósticos e tratar os atletas. Surgiu como alternativa ao raio-x, e por ter uma imagem mais nítida, é possível ver lesões e pontos que dificilmente seriam encontrados.

A termografia está ganhando cada vez mais espaço na medicina esportiva (créditos:David Mahamud)
A termografia está ganhando cada vez mais espaço na medicina esportiva (créditos: David Mahamud)

Outro equipamento que chama muito a atenção na medicina esportiva é o termovisor. A termografia identifica a temperatura em diferentes partes do corpo, assim é possível identificar lugares onde é preciso mais atenção do médico, e até mesmo lugares que precisam de um tratamento mais adequado.

Por mais que você esteja sujeito a lesões, praticar esportes é uma forma muito divertida de se manter saudável com o seu corpo e com a sua mente. Com a preparação certa, e com os avanços tecnológicos de hoje em dia, você consegue se exercitar de forma muito mais segura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Editado por Rafael Dall’Anese e Rodrigo Sales

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s