Apropriação Cultural: uma tendência além da moda

Por Bianca Oliveira

No dia a dia, é comum ver pessoas de diferentes etnias usarem Turbantes, dreads ou fantasias de negros. Mas sabia que isso pode ser considerado apropriação cultural?

A estudante de arquitetura da PUC Campinas e ativista negra, Stephanie Ribeiro, explica o que é uma apropriação cultural: “é quando uma cultura minoritária ou de alguma forma subordinada social, política ou etnicamente é apropriada por uma cultura dominante”. Ou seja, se um branco usar turbante, é considerado estiloso, porém, não é assim se a pessoa for negra. É como se a cultura negra fosse cool, mas o negro não.

 

stephanie ribeiro
Ativista negra Stephanie Ribeiro (Foto: Facebook Stephanie Ribeiro)

A tirinha abaixo é da página “A vida moderna de Djinn” do Facebook, e desenha a apropriação cultural de uma forma didática:

 

tirinha
(Foto: Página: A vida moderna de Djinn)

O caso do turbante:

Para Stephanie, o turbante ou dread podem ser considerados objetos de apropriação cultural, pois ambos são símbolos de religiões que evidenciam ligações com negros escravizados, com seus costumes e crenças. Sobre o assunto, a ativista completa: “O turbante que sua empregada fazia não era interessante até aquela amarração sair em uma revista”. A prova disso é quando se digita a palavra turbante no Google e a grande maioria das imagens são de mulheres brancas usando o acessório.

13016581_993775817367208_1184664729_o
Print da pesquisa por Turbante no Google. Print: Bianca Oliveira

A ativista diz que o argumento de “eu tenho parente negro” é sempre usado para quando a apropriação é apontada, e completa: “Se a pessoa se sentir pertencente à cultura por conta dos laços de parentesco, não tem porque não (usar turbante), mas é muito fácil se dizer negro quando lhe é conveniente”.

E aqueles que não concordam?

Apesar de negra, a vestibulanda e jovem aprendiz da IBM de Hortôlancia, Vitória Oliveira, de 17 anos, diz não ver o turbante como uma apropriação cultural. Segundo ela, em todos os campos de lutas, as minorias não lutam contra a opressão, mas sim contra a maioria e muitas garotas brancas usam o turbante, assim como a trança ou dread, porque realmente acham bonito. Ela termina a frase dizendo: “é uma cultura linda e como muitas outras pode ser admirada”.

Vitória ainda afirma que, na opinião dela, com essas separações, a caminhada pela igualdade pode ser mais longa: “o que a gente vem lutando é por mudança. A gente luta por reorganização e direitos iguais e, um dia, chegamos lá. Porém, a caminhada vai ser mais longa se decidirmos fazer separações.”

vitoria
Estudante Vitória Oliveira (Foto: Facebook Vitória Francely)

A estudante diz que o branco deve lutar contra o racismo no dia a dia e explica como: “vetando piadinhas racistas dos amigos, trantando o negro na faculdade da mesma maneira que trata o branco, não fazendo se sentir único, exceção, mas mostrando para ele que é igual aos outros.”.

Mas o que pode ser considerado apropriação cultural?

Pensando nessa pergunta, o Digitais criou um infográfico com informações trazidas no site nitoriaiichirou.tumblr.com, para ajudar quem quer entender e diferenciar a admiração à uma cultura e a apropriação cultural, além de formar a própria opinião, como Vitória e Stephanie:

13023638_993766934034763_1227814459_n
As informações foram traduzidas do site: nitoriaiichirou.tumblr.com (Infográfico: Bianca Oliveira)

Editado por Mateus Souza

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s