Mercado literário tem variações com a crise

Por Carolina Neves

Segundo pesquisa realizada em agosto, vendas de livros apresentam resultado negativo pela primeira vez este ano. Entre os dias 13 de julho e 9 de agosto de 2015, o setor livreiro registrou variação negativa tanto em faturamento (-3,1%), tanto em volume (-5,5%), em comparação com o mesmo período de 2014. Mesmo com o resultado negativo dessa pesquisa, as vendas de livros registraram, no acumulado do ano, crescimento de 6,61% em volume e de 6,05% em faturamento, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Os dados são do 6º Painel das Vendas de Livros do Brasil, divulgado no dia 27/08/2015 pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) e pelo Instituto de Pesquisas Nielsen. Os números têm como base o resultado do BookScan Brasil, sistema de monitoramento que apura as vendas de livros nas principais livrarias e também em supermercados.

Fonte: Sindicato Nacional dos Editores de Livros. (Gráfico: Carolina Neves)
Fonte: Sindicato Nacional dos Editores de Livros. (Gráfico: Carolina Neves)

O Digitais entrevistou gerentes de vendas de algumas das principais livrarias de Campinas e fez um levantamento com diversos leitores. Em enquete realizada com 48 pessoas de 15 à 38 anos, a média de livros comprados em 2015 foi de oito livros, sendo dois deles comprados em agosto e setembro (também a média), e 69,7% dos entrevistados afirmaram comprar menos livros em 2015 do que no ano anterior, quando a média de compra foi de 15 livros.

Em agosto, a Livraria da Vila, que possui sete filiais no estado de São Paulo e uma em Curitiba, manteve os números referentes a agosto iguais aos de 2014. “O mercado tinha apresentado uma desaceleração a gente não decresceu, nós mantemos os números do ano passado”, disse o coordenador de vendas da filial do Shopping Galleria de Campinas, Felipe Bardi, referente às vendas à todas as unidades da Livraria. 

Raul Ferreira, gerente de vendas da Leitura do Shopping D. Pedro, afirma que as vendas da livraria não foram prejudicadas, “Pelo contrário, a gente vem fazendo vários trabalhos de eventos e de campanhas, e as nossas vendas vem aumentando em torno de 10% todo mês e no mês de setembro registramos um crescimento de 20% em relação à 2014”. Raul ainda acrescenta que algumas de suas promoções começaram em 2015, já que ao ver o mercado em crise, a livraria decidiu tomar medidas para não ser atingida. 

José Pereira, coordenador de vendas da Fnac, também do Shopping D. Pedro disse que a venda de livros da loja foi prejudicada, “Tivemos uma queda sensível nas vendas, o que está refletindo a queda não é o livro em si que o brasileiro está deixando de comprar, é simplesmente o momento econômico”, a Fnac não adotou de promoções para driblar a queda de vendas. “Não é que o brasileiro não esteja mais querendo comprar livros, é que ele ficou com medo de comprar.”

Já a gerente de vendas da livraria Ideais & Letras, localizada no centro de Campinas, afirmou que suas vendas de agosto não variaram em 2015 em relação à 2014, mas “Esse mês agora de setembro as nossas vendas diminuíram um pouco. Mas esse crise é exagerada nas redes sociais, aí isso assusta as pessoas e afeta as nossas vendas, é só isso.”

Livraria Ideias & Letras. Foto: Carolina Neves
Livraria Ideias & Letras. Foto: Carolina Neves

Editado por Caren Godoy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s