Número de academias dobra nos últimos quatro anos no Brasil e fica atrás apenas dos Estados Unidos

DSC02660
Setor de academias está em constante crescimento no país (Foto: Mariana Maia)

Por Mariana Maia
Os brasileiros andam cada vez mais preocupados com estética, saúde e bem-estar, o que pode explicar o aumento de academias no país, que dobrou nos últimos quatro anos. Segundo a Associação Brasileira de Academias (ACAD), atualmente são mais de 30 mil,  sendo 8 mil somente no Estado de São Paulo. Até o final de maio, o sindicato de academias de Campinas registrava mais de 500 na região.

Para a economista Barbara Aydos, esse fenômeno ocorre por causa do aumento da demanda combinada à mobilidade social. “Esse crescimento está ligado à alta preocupação da população com questões estéticas e de bem estar”, interpreta.

Saúde e estética é exatamente o que impulsionou há 3 anos a administradora Cassia Bonetto a procurar uma academia. “No último ano de faculdade consegui um tempo no trabalho e comecei a fazer academia com o intuito de conquistar o corpo dos sonhos, mas não consegui resultados satisfatórios. Quando acabei a faculdade, consegui frequentar mais e alinhei os treinos com dieta, foi quando comecei a ter resultados em meu corpo e na saúde. Hoje vejo a academia não somente uma construtora de um corpo bonito, mas a construtora de uma vida saudável”, conta.

De início para o consultor de negócios Rodrigo Faria a academia era apenas para conquistar músculos, hoje a atividade também serve como uma válvula de escape para o estresse. ” Queria deixar de ser o magricelo da escola, então com 15 anos de idade entrei na academia para ganhar músculos. Desde então, ela passou a fazer parte da minha vida, me apaixonei por esse esporte. Hoje com a vida mais corrida encaro a academia não apenas para ter um corpo bonito, mas como uma terapia capaz de acabar com o estresse vivido no dia a dia”, revela.

Diretor Executivo da rede de academias X-Prime, Fabio Gabriel acredita que com o sedentarismo os médicos começaram a transcrever mais atividades físicas a população por questões de saúde, o que em sua opinião ajudou a impulsionar esse mercado. “Entre a década de 90 e 80 as pessoas praticavam muito mais atividades físicas o que ajudava a prevenir a obesidade e outras doenças. Hoje é completamente ao contrário por causa da mudança cultural que tivemos por causa da tecnologia e alimentação, o que começou a impulsionar que os médicos encaminhassem mais atividade física. Acredito que a comodidade das academias, pela sua infraestrutura e outros elementos, acaba sendo a opção da maioria ao invés de buscar um atividade independe como a caminhada”.

Outro fator que o empresário levanta é a mídia que cada vez mais traz matérias relacionadas a essa prática. “Costumamos brincar que a mídia faz propaganda de graça para a gente. Você abre uma revista ou liga a televisão, e o tempo inteiro você vê matérias relacionadas à saúde e à pratica de exercícios físicos, então toda essa bolha acaba voltando para essa tendência que consequentemente reflete nas academias”, opina.

Mas para Fabio Gabriel esse setor ainda tem muito a crescer. “No Brasil, cerca de 4% da população pratica exercício físico em academias. Então a gente tem uma gama de 96% de clientes para poder atingir e crescer. A gente acredita que é uma tendência que tende a crescer cada vez mais, temos muito espaço para conquistar”, ressalta.

Confira abaixo o Ranking Mundial:

parte2
Ranking Mundial do setor de academias (Arte: Mariana Maia)

Negócio e não amadorismo

Na opinião do gestor empresarial Alessandro Mendes, há 10 anos as academias eram negócios criados por professores de educação física dispostos a empreender, mas sem grandes conhecimentos de gestão. Com a profissionalização do mercado o cenário começou a mudar. “Ficou um pouco mais aguerrido e esse pessoal começou a passar por diversas dificuldades. Acho que a principal delas foi entender estrategicamente como esse negócio ia funcionar, porque dentro desse conceito evolutivo eles não estavam preparados para isso. Novos investidores chegando no mercado. Pessoas com visão não do empreendedor mas sim aquele que olha para o negócio como um investimento com rentabilidade”, complementa.

O educador físico Fabricio Oliveira Rodrigues comprou há 9 anos uma academia que antes possuía administração familiar. Juntamente do sócio, o economista André Werner, eles profissionalizaram a empresa. “Esse é o casamento que a gente fala que deu certo. Conseguimos unir parte técnica com a parte de mercado. Não é apenas um negócio, é uma empresa. Pensamos em treinamento, em capacitação profissional, marketing. Tudo isso tem que estar envolvido”.

O empresário ainda afirma que o mercado fitness no Brasil tem vivido um movimento de aprimoramento em termos técnicos estabilizando o setor. Para ele, o maior desafio desse mercado hoje é que o aluno entre e permaneça na academia.

parte1
Dados sobre o setor no Brasil (Arte: Mariana Maia)

Variedade é a aposta

Diante deste cenário, a economista alerta “a competição fica cada vez mais acirrada, permanecendo no mercado os gestores que melhor se planejam e investem”. Com isso, as academias estão investindo em infraestrutura e maior variedade de modalidades esportivas para atrair clientes.

O empresário Rodrigues conta que quando começou o negócio a concorrência era pequena. “Havia só eu e mais uma academia do mesmo porte.Hoje já possuímos mais de 20 concorrentes. Se for ver são quase duas academias novas por ano que enfrentamos para conseguirmos se manter vivos no mercado”.

parte3
Dados que podem mostrar que a concorrência no setor anda acirrada(Arte: Mariana Maia)

A solução do empresário foi investir em diversidade para os clientes. Com uma mensalidade fixa e com preço único, os alunos podem escolher fazer mais de uma atividade e trocar de modalidade quando quiserem. Rodrigues conta que junto com o sócio perceberam que as pessoas sempre buscam mais de uma atividade. “É difícil hoje o aluno fazer apenas uma modalidade. Geralmente eles frequentam a musculação e outra atividade”, revela.

Ao todo a academia oferece cerca de 20 modalidades, entre aulas de musculação, natação, lutas e danças. “Só na piscina temos quatro modalidades: natação; hidroginástica; hidrojump e hidrobox. Temos também quatro lutas: MMA; muay thai; jiu jitsu e o judô. Temos também aulas para a terceira idade como fitflex e alongamento. Outras modalidades que temos são: musculação; yoga; pilates; spini; ginástica localizada, powermix, jump; zumba. Além de aulas de ritmos, abdome e glúteo”, conta.

Para a estudante Letícia Cereda, o fator decisivo que a fez optar pela academia que frequenta foi a variedade. “Na hora de escolher por uma academia optei pela Corpo e Vida, justamente por possuir um leque de atividades por um único preço”, afirma.

Além da variedade, Rodrigues aposta na gestão da academia para manter os clientes. “Fazemos pesquisa de mercado e escutamos muito nosso cliente. Inovamos todo o ano, desde a estrutura até às aulas. Além de fazermos uma reciclagem constante de profissionais”.

Confira abaixo algumas modalidades:

Franquias

Uma das opções para abrir um negócio nessa área é escolher uma marca consolidada no mercado e se tornar um franqueado. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), as franquias vêm se desenvolvendo a passos largos, chegando a crescer 7,7% em 2014,  com um rendimento total de R$ 127 bilhões.

Diretor Executivo da rede de academias X-Prime, Fabio Gabriel decidiu expandir sua marca através de franquias. Hoje ele já possui 7 estabelecimentos em funcionamento. “Eu percebi que era uma fatia muito interessante do mercado. É bem lucrativo, porque você consegue crescer com uma velocidade maior, já que você não depende só de capital próprio. Você cresce com o investimento dos franquiados”, afirma.

Para consolidar sua marca o empresário revela que contou com duas pontes: o marketing constante e a entrega do produto. “É preciso investir 4% do seu faturamento bruto todo mês, o ano inteiro, no marketing, e não só quando está com problemas de vendas. O cliente precisa reconhecer a empresa. Porque quem não é visto não é lembrado. Mas não adianta nada você fazer o barulho se você não entregar ao cliente o produto, que é a infraestrutura e comodidade”.

Confira abaixo as vantagens e desvantagens de optar por uma franquia ao invés de começar o negócio do zero na matéria em áudio, feita para o Projeto Repórter Estudante, da CBN Campinas.

Confira no infográfico os cuidados que se deve tomar ao escolher uma franquia:

Untitled Infographic
5 dicas sobre os cuidados que se deve ter antes de fechar o negócio e se tornar um franqueado – fonte ABF (Arte: Mariana Maia)

Editado por Bárbara Pianca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s