Falta de pavimentação e manutenção em rua gera reclamação no bairro Fazenda Santa Cândida

Por Gustavo Gianola

Os moradores do bairro Fazenda Santa Cândida, próximo ao campus I da PUC-Campinas, reclamam da falta de manutenção e cuidados nas ruas e calçadas próximas às suas residências. Eles cobram da Prefeitura a limpeza de calçadas e terrenos abandonados, com excesso de mato e alto risco de proliferação de doenças, principalmente a dengue. O maior índice de reclamações está na rua Josefina Gori Fiorani, local onde mora a maioria dos estudantes. Eles afirmam que o bairro já está em esquecimento há muito tempo e cobram, além da manutenção das calçadas e terrenos, o excesso de buracos nas ruas, excesso de entulho nas calçadas, falta de iluminação e cabos de energia pendurados na calçada.

11255136_10200426287496388_1844833271_n (2)
Excesso de mato e entulho preocupa moradores da região. (Foto: Gustavo Gianola)
11225939_10200430374718566_846305810_n (2)
Os fios desconectados dos postes podem trazer riscos a quem passa pela calçada. (Foto: Gustavo Gianola)

O estudante de química, Luís Fernando Nogueira, 23, é morador na rua há 3 anos e diz que a situação se encontra dessa maneira desde que se mudou. “Infelizmente já estou acostumado com essa realidade. Já reclamei muitas vezes para a imobiliária comunicar a entidade responsável, mas até agora nada foi feito”. Luís cursa a faculdade no período da noite e diz sentir medo todo dia para ir até a PUC, já que faz seu trajeto a pé. “Me sinto inseguro toda vez que saio de casa, parece que moro em um bairro abandonado. Às vezes ligo o flash do meu celular para enxergar a rua”. O estudante afirma já ter tido um celular e carteira roubados por um motociclista durante seu trajeto à faculdade.

A personal trainner Maria Lúcia Canevorello, 31, também mora na rua Josefina Gori Fiorani e se sente insegura toda vez que chega em sua residência. Seu apartamento fica em frente à Fábrica de Sorvetes La Basque. Ela afirma que sua única segurança é saber que tem um segurança na guarita em frente à fábrica 24 horas por dia. “Eu trabalho em uma academia 24 horas e meu turno acaba de madrugada. Sempre que chego na rua de casa à noite fico atenta se não tem nenhum carro me seguindo e tento entrar em meu prédio o mais rápido o possível”.

Questionada sobre os outros problemas do bairro, Maria diz manter suas janelas fechadas na maior parte do tempo, devido ao excesso de insetos na área. “É impossível ficar com a janela aberta. Se eu abro, é de dia e bem pouco, porque muitos pernilongos entram em meu apartamento. Com esse surto de dengue eu fico mais alerta e mantenho tudo fechado, apesar de me incomodar com a pouca ventilação em minha casa. ”

11074537_10200426287136379_1280951061_n
Falta de limpeza nos terrenos ao lado da fábrica de sorvetes La Basque. (Foto: Gustavo Gianola)

A Secretaria de Serviços Públicos de Campinas afirmou desconhecer os problemas e que nunca houve reclamações sobre a rua. A equipe do Digitais enviou fotos e depoimentos com as denúncias dos moradores, para que ficassem cientes da situação. Eles afirmaram que os problemas em relação à parte pública, como pavimentação e iluminação serão regularizados e que os proprietários dos terrenos particulares com excesso de mato serão comunicados e intimados a tomar as devidas providências. A Secretaria afirmou que irá mandar uma equipe de serviço até o final do mês de maio para averiguação dos problemas públicos citados.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s