Jovens brasileiros têm dificuldades para dormir

Por Ananda Porto

O Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (IPOM) revelou que 88% dos jovens brasileiros estão dormindo mal, ou apresentam algum tipo de distúrbio do sono. Um dos dados levantados pela pesquisa é de que esse público estaria dormindo poucas horas por noite durante a semana devido à rotina agitada.

Os distúrbios do sono são classificados por: Apneia, bruxismo, insônia, narcolepsia, ronco e síndrome das pernas inquietas.  Mas a que mais atinge os adolescentes de é a insônia, um distúrbio multifacetado. Este caso pode ser diagnosticado de forma psicológica (terapia comportamental cognitiva) ou por meio de medicamentos.  Médicos e psicólogos podem detectar sintomas como da ansiedade, depressão, problemas familiares e até profissionais que podem afetar no sono. Alguns casos podem ser resolvidos por meio da higiene do sono, que são passos que devem ser adotados no dia a dia para que a pessoa consiga dormir melhor.

Dentre as atitudes a serem tomadas para obtenção de uma boa noite de sono, encontram-se: Deitar e levantar no mesmo horário, evitar a prática de atividades físicas após as 17h, evitar cafeína (café, chá, chocolate, refrigerante), álcool e tabaco de seis a oito horas antes de ir dormir, não usar aparelhos eletrônicos na hora de dormir (celular, computador, tablets, televisão), não ficar acordado na cama por mais de 30 minutos, diminuir o barulho e luz do ambiente, ir para a cama só quando estiver com sono, não ficar no quarto para estudar, fazer trabalhos, pois isto gera uma poluição mental de condicionamento etc.

Dados do Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (IPOM)
Dados do Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (Infográfico: Ananda Porto)

Silvia Gonçalves Conway psicóloga clínica, Especialista no Tratamento de Insônia e Transtorno de Estresse Pós Traumático explica que a insônia é uma ativação do sistema nervoso em um momento em que ele precisa se acalmar, por isso é preciso ficar longe de aparelho celular ou qualquer outro equipamento que emita luz “O sono é um momento de silêncio, um momento de entrega e de se desconectar. É incorreto usar o celular qualquer outro aparelho eletrônico que emita luz na hora em que se estiver deitado. Pois, a luminosidade faz com que o nosso cérebro capte a mensagem de que ainda é dia, de que ainda está claro, a melatonina – hormônio que induz o sono – não vai ser secretada e por isso a mente não vai descansar. ”, revela.

A Arquiteta e professora Ligya Hrycylo Bianchini de 30 anos,  disse que sempre teve dificuldade para dormir. E em dois momentos de sua vida precisou da ajuda de um profissional para resolver esta questão. “Por ter várias fases da minha vida em que eu dormia mal, eu fui percebendo que a hora que ia dormir me causava certa ansiedade, queria dormir, mas não sabia se ia  conseguir dormir bem. Esta ansiedade ajudava a eu dormir mal, pois não conseguia relaxar”.  Ligya revelou também que procurou ajuda de um Instituto do Sono, passou a adotar algumas medidas da higiene do sono, bem como ter o acompanhamento de uma psicóloga da área.

A arquiteta conta que parou de tomar qualquer bebida estimulante, café, refrigerante e etc, e que agora uma hora antes de dormir desliga o computador, televisão e vai ler um livro. “Comecei a ter uma rotina para dormir e para acordar. Essas mudanças me ajudaram a equilibrar meu sono. Outra atitude foi fazer terapia para identificar as questões que me causam ansiedade e me impedem de dormir bem. Tudo isso me ajudou a ter uma melhor noite de sono”.

Editado Por: Vinicius Tavares

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s