Noite de tango inédita reúne iniciantes e experientes em Campinas

Por Agnes Shinozaki

“A dança é uma das linguagens mais presentes na Estação Cultura”, conta a coordenadora do espaço, Marília Cecília Pires de Campos. Com isso em mente, a noite de domingo foi especial para os visitantes: a Companhia Típica Tango trouxe seus dançarinos para uma aula aberta gratuita, um baile e uma apresentação. “O tango é uma linguagem diferente, até então não havia tido nenhum evento desse tipo aqui. A gente quer trabalhar com a diversidade.”

Dona da Companhia, Natacha Muriel dançou na apresentação que fechou a noite
Dona da Companhia, Natacha Muriel dançou na apresentação que fechou a noite (Foto: Agnes Shinozaki)

O casal Carina Montague e Uriel Lopes participaram da aula. Ele também foi para conhecer a história. “Eu só conhecia por filme, só sabia que era uma dança da cultura argentina, mas nunca tinha dançado. Além de ser um evento gratuito, é uma cultura nova que a gente não conhece muito bem.” Carina já conhecia um pouco do tango e achou a iniciativa criativa. “Dá a oportunidade das pessoas conheceram a dança. Às vezes, a pessoa tem vergonha de ir até a academia e uma aula aberta assim é a chance de ela praticar e sentir a dança, que é o melhor.”

Cíntia Corrêa e Alan Cacique aprendem tango há um ano e vieram de Piracicaba para o evento. “A gente veio pra poder aprender mais, coisas diferentes do que já aprendemos na nossa escola.” ela conta. “Mesmo sendo o básico, é uma perspectiva diferente.”

“É uma dança que chama as pessoas a se reunirem para criar poesia, dança, música, canções.” Explica a dona da Companhia, Natacha Muriel. “Para nós, é como uma via de condução dessa cultura para pessoas que talvez nunca tiveram acesso. Como o evento é gratuito é bom também para as pessoas que não tem muito acesso a um show, uma aula.” E avalia a troca cultural que esse tipo de encontro promove. “Tudo que vem, não só da Argentina, Bolívia, México, Uruguai, é outro universo. É mais fácil falar de Miami e Nova Iorque do que Buenos Aires e Montevidéu. Mas isso já é uma grande abertura. Há um grande interesse de se misturar as culturas, que é uma das coisas que dá o tango.”

Esse foi um projeto piloto na Estação Cultura e, segundo a coordenadora, foi um sucesso; pode haver mais edições no futuro. Outros projetos de dança de rua, hip hop e break acontecem ao longo do ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s