Terapia para pets auxilia na melhora do comportamento animal

Por Fernando Corilow

Muito mais do que apenas ir ao veterinário por causa de alguma doença, os animais domésticos, nos últimos anos, vêm recebendo diversos tratamentos para os mais variados problemas. Além de alguns métodos terapêuticos alternativos para questões físicas, como massagens e acupuntura, os donos, especialmente de cachorros, investem até em terapias comportamentais para diagnosticar e corrigir distúrbios psicológicos dos animais. E pessoas que já recorreram a estes tratamentos para seus pets garantem que os resultados costumam ser bastante satisfatórios.

Durante as consultas, o adestrador Raphael Linares (ao centro) conversa com os donos do cão para fazer o diagnóstico do problema comportamental do animal. (Foto: Arquivo Pessoal)
Durante as consultas, o adestrador Raphael Linares (ao centro) conversa com os donos do cão para fazer o diagnóstico do problema comportamental do animal. (Foto: Arquivo Pessoal)

Um destes tratamentos que vem sendo utilizado, especialmente por adestradores para corrigir comportamentos problemáticos nos animais, é a terapia ou consulta comportamental. Assim como na psicologia humana, o tratamento compreende em estudar as atitudes e o histórico dos pets, diagnosticar traumas e distúrbios e desenvolver estratégias de recuperação. O terapeuta de cães Bruno Leite explica que os cães são seres sociais e, assim, precisam de regras que ajudem no convívio no lar e que, ao mesmo tempo, satisfaçam às necessidades dos cachorros. O adestrador Raphael Linares, que também trabalha com as consultas, conta que os comportamentos mais comuns nos cachorros que passam pela terapia são agressividade, medos, ansiedades de separação, entre outros.

Além do cuidado com o próprio cão, é essencial à terapia o trabalho com os donos. Linares explica que trabalha “tanto com o emocional do cão quanto com o da pessoa. Os dois se tornam um só, e então você trabalha com a auto-estima, a auto-confiança, com fatores motivacionais que vão desenvolver um determinado tipo de sentimento no cão, e então você consegue coordenar o problema.”

De acordo com o adestrador Raphael Linares, a terapia é feita por etapas, as quais buscarão uma melhor relação entre cão, dono e o meio social.
De acordo com o adestrador Raphael Linares, a terapia é feita por etapas, as quais buscarão uma melhor relação entre cão, dono e o meio social(Infográfico: Fernando Corilow)

Emoções caninas

O tratamento terapêutico ocorre por um motivo simples, como explica Linares: “Os cachorros tem um borbulhar de emoções, e às vezes as pessoas nem imaginam isso. Eles podem sofrer muito porque não têm uma qualidade de vida legal.” Para Leite, a reabilitação comportamental dos cães é bastante importante pois problemas psicológicos, mesmo em animais, podem culminar em problemas físicos e enfermidades: “Um cachorro ansioso, por exemplo, é um cachorro estressado. (…) Um cão estressado é um cão que vive menos. Essa é a importância de manter seu cão tão equilibrado quanto educado.”

Segundo Leite, os resultados da terapia vem sendo bastante satisfatórios: “Os resultados são incríveis! Nós mudamos o comportamento do cão e todo o meio no qual este indivíduo canino está inserido. Assim, conseguimos um resultado de mais longo prazo”. Linares lembra, porém, que em alguns casos, devido à idade mais avançada do cachorro e toda uma vida de traumas e maus-tratos, é impossível reverter totalmente seu comportamento. Ele explica que, nesses casos, o cão “não vai melhorar 100%, sempre vai haver um estado de alerta. Criamos limitações, estratégias que deem confiança ao cachorro para que os dois consigam viver dentro de uma blindagem.”

Donos que já investiram na terapia confirmam a melhora no comportamento dos cães. A estudante Roberta Pires, dona do labrador Marley, de dois anos, que sofria de ansiedade e estresse e começou a morder as pessoas, explica que não conseguiu “distinguir se a terapia foi para nós, donos, ou para nossos cachorros, pois tivemos que entender as reais necessidades, costumes e aptidões/habilidades [do animal].” Ao final do tratamento, ela conta que Marley está bem e consegue conviver normalmente com outros dois cachorros na casa.

Outros tratamentos

Além da terapia, outros tratamentos alternativos vêm sendo oferecidos aos pets, como a acupuntura, a massagem, a homeopatia, a hidroterapia etc. A professora Ingrid Bueno, especialista em comportamento animal explica que a acupuntura, por exemplo, tem funções locais e gerais no organismo do animal, e portanto “são tratadas não só as enfermidades, mas seus reflexos e origens orgânicas.” Ela conta, também, que a acupuntura vêm demonstrando diversos resultados positivos em várias áreas, como no tratamento de dores, na recuperação de movimentos e até em mudanças de temperamento.

A estudante Letícia Oliver conta que seu antigo cocker, Thoby, passou por dez sessões de acupuntura em 2008, que foram recomendadas pelo segundo veterinário que o tratou – o primeiro havia até recomendado a eutanásia após o animal ter o movimento das patas traseiras comprometido. Ela conta que, ao final do tratamento, “o Thoby voltou a andar e até correr pela casa. Fiquei muito satisfeita e, principalmente, muito surpresa com o resultado.” Ingrid relata que percebeu um crescimento significativo nos últimos anos na procura pela acupuntura e por outros tratamentos alternativos, e explica: “Muitos proprietários vêm desenvolvendo maiores cuidados com seus animais e prezando mais pela medicina preventiva do que curativa. Essa é uma mudança importante no perfil familiar e profissional.”

Boa parte dos métodos alternativos fazem parte da medicina veterinária preventiva. Profissionais da área relatam aumento na procura por estes tratamentos (Infográfico: Fernando Corilow)

Editado Por: Vinicius Tavares

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s