Manifestações contra a terceirização em todo o país adiam votação na Câmara dos Deputados

Toyota 04_Rafael Jorge
Trabalhadores da Toyota decidem parar produção no Dina Nacional de Paralisação contra o PL 4330 (Foto: Rafael Jorge)

Por Renata Rosica

Em Campinas o Dia Nacional de Paralisação contra o PL 4330/04 mobilizou trabalhadores de várias categorias. 16 agências e departamentos do Banco do Brasil, Caixa Federal, Itaú, Bradesco, Santander, HSBC, Safra e Losango atrasando em uma hora o atendimento ao público.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região atrasou a produção na montadora Honda, em outras como Mercedes-Benz e Toyota, os trabalhadores concordaram em assembleia não trabalhar. “Nós temos lado e é o dos trabalhadores. O único meio de parar essa votação do PL 4330, que terceiriza todas as categorias de trabalhadores do Brasil, é uma greve geral”, disse Emanuel Melato, dirigente sindical. A empresa conta hoje com 1.500 trabalhadores sendo 900 terceirizados.

Os petroleiros de Paulínia fecharam a rodovia Zeferino Vaz na altura da Replan. Servidores da Unicamp também fecharam a entrada no começo da manhã. A posição das centrais sindicais é de que enquanto esse Projeto de Lei estiver em pauta os trabalhadores se manifestarão, e mais, está em construção uma greve geral nacional.

No centro da cidade de Campinas a CUT, CTB, Intersindical, UGT e Conlutas além de movimentos sociais, como o Movimento Popular de Saúde de Campinas (MOPS) e o Movimento Campinas Contra a Privatização.  Também estiveram presentes os vereadores do PT, Pedro Tourinho, Carlão e assessores representando Ângelo Barreto além de militantes do PT, PSTU e PCdoB.

Câmara tenta votar ainda hoje destaques do PL 4330

está agendada para hoje (22) a votação dos destaques do texto base do PL 4330. O Projeto de Lei é polêmico por permitir a terceirização das atividades -fim em todas as empresas privadas do país. As empresas públicas e de economia mista foram tiradas do texto semana passada.

Segundo a CUT (Central Única dos Trabalhadores), os trabalhadores voltam as ruas nesta quarta-feira. A pressão da semana passada deu certo, os deputados adiaram a votação, mas prometem correr com os destaques a partir de hoje. “Para nós termos um Brasil melhor, vai ter que mexer na linha econômica. Ajuste, se for pra fazer, que faça nas grandes fortunas”, defendeu o presidente da CUT, Vagner Freitas, que atacou o projeto da terceirização. “Se for preciso fazer uma greve nacional pra impedir que se mexa no PL 4330, não tenham dúvidas de que faremos.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s