Pesquisa realizada pela USP aponta influências da arborização urbana em bairros de Campinas

Por Rafaela Barbosa

O bem-estar físico e psicológico pode ser melhorado pela arborização da cidade, é o que aponta a pesquisa desenvolvida pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Esalq/USP, nos bairros Centro, Cambuí, Comunidade Vila Brandina e Jardim das Paineiras.

Jardim das Paineiras é a região que possui maior quantidade de árvores, segundo o estudo, apresentando temperatura ambiente mais baixa e umidade relativa mais alta. A pesquisa comprovou ainda a relação existente com a sensação de bem estar.

De acordo com o ecólogo Fabrício Pinheiro da Cunha, além da função paisagística, a arborização urbana proporciona benefícios à população como a “diminuição da poluição sonora e absorção da poluição atmosférica”, aponta.

Cunha explica que regiões centrais arborizadas são importantes, visto que “a ausência da arborização somada a poluição e a elevada concentração de asfalto e concreto produzem ‘ilhas de calor’, que são áreas de baixa umidade relativa e alta temperatura, dessa forma as árvores contribuem para moderar os extremos climáticos dos grandes centros urbanos”, finaliza.

A Sociedade Brasileira de Arborização Urbana recomenda 15 m²/habitante de áreas verdes. (Foto: Rafaela Barbosa)

O designer Luigi Maricato Di Bella tem 28 anos e mora no Cambuí desde que nasceu. Para ele a arborização é importante não só pela beleza que as árvores trazem ao cenário cotidiano, como pela qualidade do ar nos dias de calor “Aqui na frente de casa, por exemplo, existiam quatro arvores a mais do que tem agora. Antes tinha muito mais sombra e o sol não castigava tanto nos dias de calor”, afirma.

Luigi ressalta que sente falta da arborização nas ruas, compartilhada por Michel Lima, que mora no centro de Campinas há quatro anos. “As árvores estão apenas nas áreas das praças, apesar de termos muitas delas no centro da cidade, não diria que meu bairro é muito arborizado”, aponta.

Medidas governamentais

Márcia Calamari, da Secretaria de Serviços Públicos de Campinas, distingue projeto de gestão, que “preza como foco urbanização e reurbanização de parques e jardins”, de projeto de arborização, que prevê a urbanização de outros pontos da cidade, como “o plantio de 100 árvores por km de via”, explica.

Atualmente Campinas conta com a Lei nº 11.571 de 17 de Junho de 2003, que regulamenta o plantio, replantio, poda, supressão e uso adequado e planejado da arborização urbana e com o Guia de Arborização Urbana de Campinas (GAUC), criado em 2008, com o objetivo de desenvolver arborização de vias públicas, aumento de áreas verdes e melhoria do ambiente urbano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s