Interrupções frequentes reduzem produtividade

Por Bruna Gomes

Pesquisadores da Universidade George Mason descobriram recentemente, que pessoas que são constantemente interrompidas enquanto escrevem tem um rendimento menor. De acordo com os responsáveis pela pesquisa, existe uma diferença entre fazer várias tarefas ao mesmo tempo e ser interrompido. Para eles, quando a pessoa trabalha em várias coisas ao mesmo tempo, ainda está no controle da situação, mas quando é interrompido, perde sua linha de pensamento e se torna mais difícil voltar a trabalhar.

11117823_10152952805943248_2074934508_n
Candidatos fazem testes que analisam sua capacidade de atenção e concentração. (Foto: Bruna Gomes)

Para a psicóloga e consultora de Recursos Humanos, Alessandra Nanias, embora as redes sociais distraiam as pessoas, talvez não seja o pior. “Um dos fatores que mais podem afetar a concentração é a conversa, a abordagem e a comunicação excessiva nos escritórios”, afirma. Segundo ela, tudo depende das tarefas e do sujeito que as realiza. Algumas pessoas possuem maior facilidade em pensar em várias coisas ao mesmo tempo e outras não. Se a atividade envolve riscos de segurança, principalmente, não devem ser interrompidas, pois é prejudicial ao andamento da tarefa. Nos processos seletivos realizados por empresas, alguns testes são aplicados nos candidatos para detectar níveis de concentração e atenção, dentre eles estão os testes de Atenção Concentrada (TEACO e AC).

11149099_10152952806003248_386832736_n (1)
Testes utilizados para medir nível de concentração e atenção. (Foto: Bruna Gomes)

Tendência no mundo atual, o home office tem tomado conta de muitas famílias brasileiras, mas ainda divide opiniões entre as pessoas quando a questão é a concentração no trabalho. Para o analista de sistemas Adilson Bonvino, 48, trabalhar em casa não é uma tarefa complicada, mas acredita que ambos os lados possuem seus prós e contras. “Tanto em escritório como em casa, é importante ter um espaço e tempo para poder progredir com os pensamentos. E tudo isso depende do serviço a ser realizado”, afirma. A disciplina é outro ponto importante quando o assunto é o foco necessário para o bom rendimento. De acordo com o analista de sistemas, ficar com uniforme ou roupa social em casa é uma boa tática para se concentrar e também para mostrar à família que você está ocupado. “Sem dúvidas, a família tem que colaborar e entender que você está trabalhando. E, mesmo em casa, é preciso ter um espaço apropriado”, finaliza Adilson.

Segundo Alessandra, a dica para aqueles que se distraem facilmente com as interrupções e desejam retomar a atenção com mais rapidez é reler aquilo que foi escrito, várias vezes, se necessário. “Desta forma você retoma a linha de pensamento que estava seguindo antes da interrupção”, explica a psicóloga. Outras dicas importantes para quem precisa de mais concentração e foco no trabalho são planejar tarefas, desligar o telefone por um tempo e desconectar da internet até finalizar o assunto urgente. “Caso algum colega o aborde sobre algo que não tem haver com o trabalho saia de sua mesa, não atrapalhe outras pessoas e de preferência fique em pé, pois dizem que a conversa dura menos tempo. A psicóloga ainda ressalta que em ambiente de trabalho é importante ter flexibilidade, afinal as interrupções às vezes são necessárias, mas em ambientes onde as interrupções sejam um problema frequente o ideal é pedir ajuda para um líder. “Um treinamento pode promover o diálogo em grupo e, assim, algumas combinações podem ser estabelecidas”, completa.

O aplicativo Focus Me tem beneficiado a produtividade de pessoas que tendem a se distrair em outros sites durante o trabalho. Alguns usuários do aplicativo declaram no site em que o aplicativo pode ser encontrado: “Focus Me é o único motivo que me faz terminar minhas tarefas”, “Tenho usado o Focus Me sempre e sempre me faz reduzir o tempo perdido com tarefas inúteis”.

Sobre a pesquisa

Para o primeiro experimento de uma série de testes, os cientistas recrutaram 54 estudantes, e pediram que eles escrevessem uma redação rápida. Cada um tinha 12 minutos para pensar nos argumentos da redação e mais 12 para escrevê-la. De forma aleatória, eles foram separados em três grupos: em um, eles eram deixados em paz durante para trabalhar. Em outro, eles eram interrompidos enquanto planejavam a redação. E, no terceiro, eram interrompidos enquanto escreviam. Essas ‘interrupções’ eram intervenções dos próprios cientistas, que colocavam uma folha sobre a redação dos estudantes e pediam que eles fizessem um cálculo simples. No fim do experimento, professores de redação corrigiram os trabalhos dos estudantes e mostraram que o grupo que não foi interrompido teve um desempenho superior.  De uma escala que ia de 0 a 6, esses estudantes tiraram 3,71 escrevendo uma média de 315 palavras. Os que foram interrompidos durante o planejamento tiraram 3,13 e escreveram uma média de 307 palavras. Já os que precisaram lidar com os cálculos enquanto escreviam tiveram a pior performance: 3,06 de média escrevendo 282 palavras. Em um segundo experimento, os cientistas modificaram a metodologia – deram 20 minutos para planejar e outros 20 minutos para escrever a redação e as interrupções eram feitas de forma aleatória, e não a cada três minutos como no teste anterior. Os resultados foram melhores, mas o padrão das médias se repetiu. Aqueles que não foram interrompidos escreveram mais e conseguiram uma média de 3,74, enquanto os que precisaram fazer cálculos tiveram uma média de 3,17.

Editado por Danilo Christofoletti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s