Demora na construção de ciclovias gera reclamações em Campinas

Por Ricardo Magatti

A demora no início da implantação do plano cicloviário, que compreende a construção de 100 km de ciclovias em Campinas até 2016, vem gerando críticas por parte dos ciclistas e cicloativistas da cidade. Os ciclistas esperam que os projetos da construção das ciclovias apresentados a eles pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) em um encontro no fim de janeiro sejam viabilizados.

Eduardo Gomez, bancário e cicloativista, é um dos que reclamam da lentidão no começo das obras. “Foi feito um workshop para apresentar o plano cicloviário há mais de um mês, mas só isso. Até agora, o Poder Público só enrola, enrola, e não faz nada. Na minha concepção de cicloativista, falta vontade política para que existam ciclovias aqui em Campinas”, criticou Gomez, que usa o transporte sobre duas rodas seja para lazer, como para transporte, há 16 anos.

IMG_4785
Ciclofaixa no Taquaral é uma das poucas opções para quem anda de bicicleta em Campinas (Crédito: Ricardo Magatti)

O bancário, que se diz “transtornado” quando não consegue fazer uso da bicicleta para ir ao trabalho e que tem amigos que também reclamam do cenário do transporte sobre duas rodas em Campinas, faz uma comparação com Sorocaba para escancarar a ausência dessa via em Campinas, que hoje possui apenas 27 km de ciclovias e ciclofaixas.

“Em Sorocaba, por exemplo, que é uma cidade com pouco menos de 600 mil habitantes (segundos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]), há 100 km de ciclovias à disposição da população e aqui em Campinas, nada”, completa Gomez.

A assessoria de imprensa da Emdec  não se pronunciou sobre o prazo para o começo das obras. Segundo a assessoria, “as propostas da Emdec e dos cicloativistas apresentadas no workshop de janeiro estão em fase de consolidação e os trechos e os espaços reservados na malha urbana para os ciclistas deverão ser construídos com investimentos públicos e também da iniciativa privada”. De acordo com a Emdec, os 100 km de ciclovias devem ser entregues até o final de 2016.

Comparações com outras cidades e países

Atualmente, existem 1118 km de ciclovias em todas as 26 capitais do Brasil. O Rio de Janeiro encabeça a lista, com 361 km de ciclovias. Logo em seguida vem São Paulo: a maior cidade do país tem 202 km à disposição dos ciclistas. A meta da prefeitura da capital paulista é chegar a 400 km até o final de 2016. A terceira colocada é Curitiba, que tem uma rede cicloviária de 127 km, com previsão de serem implantados mais 300 km, previsto pelo Plano Diretor Cicloviário, o que deixaria a cidade no topo do ranking.

Viajando à Europa, os números são mais exorbitantes. A extensão quilométrica de ciclovias em Campinas fica ainda mais irrisória quando comparada à Europa. Pra se ter uma ideia, será construída uma megaciclovia com 70.000 km de extensão até 2020. A “EuroVelo” ligará cerca de 43 países do continente, em um total de 14 rotas de diferentes tamanhos.

Dados de ciclovias em Campinas
Atualmente Campinas possui cerca de 27 km de ciclovias, ciclofaixas e ciclofaixas de lazer. As ciclofaixas de lazer são abertas apenas aos domingos e feriados, no período das 7h até as 12h.

– Ciclofaixa de Lazer Taquaral / Norte Sul: 9,1 km (atualmente operante entre a Lagoa do Taquaral e viaduto “Laurão”, incluindo Kartódromo, Praça Arautos da Paz e Avenida Norte-Sul).
– Lagoa do Taquaral: Ciclofaixa permanente com 5 km de extensão (a ciclofaixa da Lagoa do Taquaral integra a ciclofaixa de lazer, mas pode ser usada durante todos os dias da semana).
– Arautos da Paz: Cclovia permanente com 1,2 km de extensão (também integra a ciclofaixa de lazer).
– Ciclovia do Kartódromo: 1,3 km (integra a ciclofaixa de lazer e funciona somente aos domingos e feriados, dentro do Kartódromo, das 7h às 12h).
– Ciclofaixa de Lazer do Ouro Verde: 2,2 km (atualmente operante no trecho da Avenida Coacyara entre o Bosque Augusto Ruschi e a Rua Bambui).
– Barão Geraldo: 1,2 km de ciclovia e 2,7 km de ciclofaixa permanentes.
– Amarais: Ciclofaixa permanente com 2,7 km de extensão (bidirecional).
– Parque Linear Dom Pedro: Ciclovia permanente com 1,7 km de extensão (bidirecional).

 

Projetos que fazem parte do plano cicloviário, com previsão de entrega para até o final de 2016, segundo a Emdec:

Avenida Mackenzie, com 6 km de extensão
Barão Geraldo (Moradia – Terminal), com 2.255m
Barão Geraldo (Parque Linear), com 851m
Barão Geraldo (Rua Francisco Humberto Zuppi), com 2.410m
Nova Aparecida, com 1.910m
Avenida Baden Powell, com 1.666m
Avenida Theodureto de Almeida Camargo, com 1.564m
Avenida Princesa d’Oeste, com 1.419m
Avenida José de Souza Campos (Norte-Sul), com 1.142m
Avenida Washington Luiz, com 835m

 

Editado por Ana Carolina Pertille

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s