Mesmo sem fonte de água, Jaguariúna é porta de entrada do Circuito das Águas

Por Karina Danielle

Portal da cidade de Jaguariúna no interior do estado de São Paulo
Portal da cidade de Jaguariúna no interior do estado de São Paulo (Crédito: Karina Danielle)

Estima-se que 50% de toda água mineral do país vem das nove cidades integrantes do Consórcio do Circuito das Águas Paulista: Jaguariúna, Pedreira, Holambra, Monte Alegre do Sul, Socorro, Águas de Lindóia, Lindóia, Serra Negra e Amparo. A água é um dos principais critérios para fazer parte do Consórcio, porém a cidade de Jaguariúna, a 120 km de São Paulo, não possui fonte de água mineral pública.

Segundo o secretário de Turismo e Cultura de Jaguariúna, Fernando Pereira, as cidades de Holambra e Pedreira, também fazem parte do circuito e não possuem fonte de água mineral. O principal motivo dessas cidades integrarem o consórcio é a regionalização do turismo, uma vez que os municípios do Circuito das Águas Paulista não ficam a mais de 100 km um do outro. “ Está cada vez mais comum o próprio Ministério do Turismo aconselhar que se regionalize as cidades e formem um único produto”, conta o secretário. Pereira ainda acrescenta que este tipo de organização é o ideal como forma de estruturar, fomentar e qualificar a atividade turística.

Jaguariúna atingiu em 2014 o 3° maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e o 16° em todo o estado de São Paulo. Seu desenvolvimento econômico aliado à qualidade de vida e posição estratégica do Aeroporto de Viracopos fez com a cidade integrasse o pólo turístico, de acordo com a assessora da Secretaria de Turismo e Cultura da cidade, Sandra Regina de Souza. O fluxo no segmento de turismo de negócios acrescentou o turismo de lazer na cidade, com a chegada da Maria Fumaça,  na antiga estação Jaguary. Além disso, o restaurante temático Bar da Praia atrai turistas e visitantes há mais de 20 anos.

Apesar da errada sensação de que essas cidades sejam unidas pela água, Juliano Belini, diretor administrativo do Circuito das Águas Paulista, comenta que a existência de uma fonte de água mineral não foi fator preponderante quando se criou o consórcio. Entretanto, ele afirma que há um lençol freático que passa por quase todos os nove municípios e que cada um deles agrega produtos entre si. “ Cada cidade do circuito tem um diferencial. Jaguariúna tem, por exemplo, a Maria Fumaça. Pedreira, a porcelana, Lindoia, as águas terapêuticas. Isso faz com que o pólo turístico seja um dos mais completos e  procurados”, relata ele.

Editado por Jaqueline Zanoveli

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s