Mais de 15% dos casais brigam por dinheiro, diz pesquisa

Por Mona Carolina Moreno

Pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pelo portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz, mostra que dinheiro é motivo das discuções de muitos casais. Foram ouvidas 656 pessoas, acima de 18 anos, de todas as classes sociais e de todas as capitais brasileiras. O resultado revelou que 16,7% dos brasileiros casados brigam pela maneira como cada um gasta o próprio dinheiro.

De acordo com o educador e planejador financeiro Pedro Braggio, o índice significa falta de organização financeira das famílias. “O casal pensa em como vai ser a festa de casamento, o apartamento novo, como vai ser a vida nova, mas acaba se esquecendo das contas. Quem vai pagar, como vai ser a divisão de contas, etc”, analisa.

O estudo revela ainda que o percentual de conflitos aumenta de 16,7% para 22,7% quando analisados somente os casais inadimplentes, ou seja, aqueles que estão com contas em atraso. Já ao analisar apenas os entrevistados que estão adimplentes, sem nenhuma conta em atraso, o percentual cai para 10,7%.

Para Wanda de Oliveira e José Louro, casados há 35 anos, a situação complica quando o assunto é sair de casa. “Eu não gosto de ficar em casa aos finais de semana e ele sempre arruma uma desculpa para não sairmos de casa e consequentemente não gastarmos dinheiro”, conta Wanda.

Para Braggio, tanto a falta de dinheiro quanto a ostentação podem causar desavenças. “Os extremos não são bons. Quando se tem muito dinheiro e não se sabe utilizar, os casais acabam discutindo, por exemplo, por gastos fúteis. Já na falta dos recursos, a briga acontece porque um quer uma coisa, mas o outro não e no fim não sobra para ninguém”, explica o educador financeiro.

Segundo o planejador, o que falta para as famílias serem mais felizes financeiramente é o diálogo, não só entre o casal, mas também com os filhos. “Se o filho fica sem limite e não sabe a hora de comprar e de esperar, muitas vezes é por não ter esclarecimento da situação financeira em que os pais se encontram. O filho entra no mesmo ritmo dos pais, de comprar sem conhecer as consequências”, avalia.

A falta de comunicação reflete diretamente na confiança entre o casal. Segundo Braggio, é muito comum um não saber ao certo o valor do salário do companheiro. “O hábito de discutir o orçamento familiar com o cônjuge, apesar de pouco frenquente – apenas 31% das famílias brasileiras conversam abertamente sobre os gastos e as receitas da casa -, é o caminho para conquistar saúde financeira”, orienta.

Para quem está com problemas financeiros, acha que isso está atrapalhando a relação e já não conseguem resolver os problemas, a dica é fazer uma avaliação financeira com um profissional, para que juntos façam um trabalho de reeducação financeira. “Já vi casais à beira da separação conseguirem se acertar depois da terapia financeira”, finaliza o planejador.

Dicas
Segundo o planejador financeiro Pedro Braggio, seguir as dicas pode trazer harmonia no relacionamento (Infográfico: Mona Carolina)

 

 

Editado por Ana Carolina Pertille

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s