Combate aos crimes de ódio virtuais ganha um aliado

Por Caroline Roque

Atualizado em 04/12/2014 às 13h12.

Segundo a Secretaria de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República, as violações de direitos humanos no mundo virtual são crescentes. Diariamente, a pasta recebe por meio de redes sociais, de 3 a 5 denúncias que cobram providências do governo em relação aos chamados crimes de ódio. Entre 2013 e 2014, houve um aumento entre 300% e 600% no registro de crimes de ódio em páginas online, conforme afirmou a ministra Ideli Salvatti.

Considerando este cenário a SDH anunciou uma cooperação com a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) para a implementação de um sistema, que irá monitorar os crimes de ódio pela internet, assim como irá propor um acordo com a Ordem dos Advogados do Brasil. A parceria também foi confirmada com o Ministério Público. O desenvolvimento do software (batizado de Hash) terminou em agosto deste ano.

Criado pelo Laboratório de Estudos em Imagem e Cibercultura (Labic), da UFES. O sistema poderá identificar palavras e expressões de cunho racista, preconceituoso ou de incitação à violência, em qualquer idioma e lugar do planeta, postadas em redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e Flickr.

“O software é muito bom para monitorar o conteúdo público que percorre pela internet. Muitos usuários acreditam que podem ficar impunes por postar coisas dessa natureza em redes sociais, e por isso o fazem”, analisa o engenheiro de software, Danillo de França Brito.

O grupo de trabalho será responsável por indicar as palavras-chave que serão buscadas na internet, pelo software. “Creio que esse é o caminho certo para identificar esses casos, mas é necessário um julgamento de todo o contexto antes de tomar qualquer decisão jurídica sobre o assunto. Pois uma pessoa pode fazer sua colocação citando um fato que tem essas palavras, sendo que ela está apenas criticando o fato ocorrido, ou apenas aproveitando a situação para fazer um humor. E temas polêmicos tendem a ser muito comentados e compartilhados em redes sociais”, explica Danillo.

Crimes de ódio_infográfico_Digitais_Puc-Campinas
Dados revelam o número crescente de denúncias realizadas a sites de cunho preconceituoso, revelando que a sociedade também é uma aliada no combate aos crimes virtuais (Crédito: Caroline Roque)

O engenheiro de software afirma que em relação à segurança e monitoramento, o país vem alcançando um avanço significativo no uso da internet para identificação de crimes, exemplificando os casos desvendados através do uso de redes sociais, quando criminosos dão pistas à polícia de quem são e onde encontra-los.

“A polícia tem que manter esse esforço, pois nós que somos da área de TI, sabemos como é fácil descobrir informações sobre qualquer pessoa na rede, basta digitar o nome da pessoa no Google e temos todo um histórico do que a pessoa faz da vida. Usando isso para o bem da sociedade, todos tem só a ganhar”, conclui Danillo.

Números

De acordo com indicadores da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, disponibilizado pela Safernet, no ano de 2013, foram denunciadas 813 páginas por racismo, 358 por apologia e incitação a crimes contra a vida,  115 páginas por xenofobia, 97 por intolerância religiosa e 26 por neonazismo. Esses são crimes que promovem o ódio, a discriminação ou violência contra qualquer indivíduo, baseado na raça, cor, religião, descendência ou origem étnica ou nacional.

Canais

Qualquer pessoa pode se tornar um aliado no combate aos crimes virtuais. Abaixo, confira os canais em que é possível enviar denúncias

Secretaria de Direitos Humanos: Disque 100

Polícia Federal: crime.internet@dpf.gov.br

Safernet: Denuncie!   Editado por Tiago Soares

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s