Profissionais e alunos de Pedagogia pedem melhores condições de trabalho

Por Caio Coletti

O Auditório Dom Gilberto pronto para receber o primeiro dia do Seminário/ Crédito: Caio Coletti
O Auditório Dom Gilberto pronto para receber o primeiro dia do Seminário/ Crédito: Caio Coletti

O 9º Seminário da Faculdade de Educação da PUC-Campinas discutiu nos últimos três dias (06, 07 e 08 de outubro) os desafios e a aplicação das técnicas pedagógicas na educação básica brasileira. Entre os muitos temas tratados pelos palestrantes e professores expositores, um dos argumentos mais recorrentes foi a necessidade de melhoria das condições de trabalho para os profissionais da área, entre outros problemas que professores e pedagogos enfrentam.O encontro anual foi aberto a alunos, ex-alunos e professores da PUC-Campinas, além do público em geral, que pôde fazer inscrição no site oficial do evento.

Banda Tabula Rasa abrindo os trabalhos do Seminário/ Crédito: Caio Coletti

 

Abertura

No dia 06, segunda-feira, o Seminário foi aberto com a participação da Banda Tabula Rasa, formada por alunos da PUC-Campinas. Após a apresentação, a Profª. Me. Fernanda Furtado Camargo e a Profª. Drª. Jussara Cristina Barboza Tortella tomaram a palavra para anunciar a constituição de um novo Centro Acadêmico do curso de Educação. O centro foi nomeado em homenagem ao aluno Jonas Fernandes, que faleceu em Abril último, em um acidente de trânsito que feriu outros sete alunos.

O Prof. Dr. Júlio Emílio Diniz, docente da UFMG e professor convidado de duas universidades americanas, realizou a palestra da segunda-feira. Como forma de introdução ao tema do seminário, o palestrante elencou seis grandes desafios da educação básica no Brasil hoje, incluindo problemas encontrados dentro das universidades. Além da necessidade de melhorias nas condições de trabalho, portanto, o Prof. Diniz apontou por exemplo que a estrutura dos cursos de licenciatura precisam focar mais nos princípios pedagógicos e menos nos conteúdos específicos de cada curso (Matemática, Geografia, Ciências Biológicas).

“Muitos colegas se identificam como geógrafos, biólogos, e não como professores de geografia ou biologia. Numa sala de 40 alunos, quem quer ser professor?”, definiu o palestrante.

Exposição de materiais montados pelos alunos/ Crédito: Caio Coletti
Exposição de materiais montados pelos alunos/ Crédito: Caio Coletti

Além da palestra, a primeira noite do evento contou com a exposição de trabalhos de alunos, que desenvolveram materiais alternativos para o trabalho na educação básica. Jogos, desenhos e outros materiais lúdicos estavam entre os objetos da exposição. A aluna Tatiana Uliani destacou a importância desses materiais: “Através da brincadeira, o professor pode ter contato com a criança e trabalhar com mais facilidade o seu desenvolvimento”, disse.

Terça e quarta-feira

A terça-feira (07) abrigou duas mesas redondas no Auditório Dom Gilberto: durante a manhã, professores da UNICAMP, USF e USP discutiram inovações e técnicas de alfabetização e ensino de matemática no ensino básico; à noite, o papel da coordenação pedagógica na gestão escolar, e seu efeito na qualidade da educação, foi abordado pela Profª Drª. Renata Cristina O. Barrichelo Cunha, da UNIMEP.

No período da tarde, tanto na terça quanto na quarta, professores e alunos de Pedagogia expuseram trabalhos nas salas do CCHSA da PUC-Campinas. Os temas eram dos mais variados, da inclusão de crianças com deficiência na educação à  proposta de utilizar contos de fadas no letramento matemático.

Professoras da PUC-Campinas participam de mesa redonda na quarta-feira/ Crédito: Caio Coletti
Professoras da PUC-Campinas participam de mesa redonda na quarta-feira/ Crédito: Caio Coletti

Na mesa redonda da quarta-feira (08) de manhã, foram discutidas questões do desenvolvimento psicológico e intelectual da criança. A Profª. Drª. Vera Lucia Trevisan de Souza destacou a importância do pedagogo como mediador para o desenvolvimento do aluno, e como disponibilizador de cultura, aspecto fundamental para tal desenvolvimento. “O homem nasce com o potencial de se tornar homem, e é na cultura que sua humanidade se desenvolve”, destacou.

Encerramento

O evento se encerra na noite de hoje (quarta-feira), com uma discussão sobre indisciplina e resolução de conflitos, da qual participa uma docente da Unicamp. Aberto a todo o público, o evento começa as 19:30h, no Auditório Dom Gilberto.

 

Editado por Fabiana Oliveira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s