Falta de água em SP faz população buscar alternativas

Por Michele Guelere

seloaguaO Estado de São Paulo sofre com uma crise hídrica sem precedentes na história do país. O sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento da grande São Paulo e regiões metropolitanas, já fornece água proveniente do chamado volume morto, que trata-se de uma reserva inativa do manancial, utilizada somente em situações de emergência.

O período de chuvas que deveria acontecer entre outubro/2013 a março/2014 foi um dos motivos que levaram a estiagem atípica.  Algumas soluções têm sido levadas em conta pela Sabesp, como por exemplo, o desconto na conta para quem economizar água. Mesmo assim, a empresa teve de captar água do volume morto do sistema que ainda abastece mais de 6,5 milhões de pessoas só na Grande São Paulo. Algumas cidades que têm abastecimento realizado por empresas municipais já realizam racionamento (Lista abaixo)

(Crédito: Michele Guelere)

A previsão de falta de água têm mudado a vida de muitos morados da região de Campinas. A dona de casa Vani Almeida, moradora de Sumaré conta as mudanças no dia a dia de sua família, “antes eu lavava o estacionamento e a calçada da minha casa no mínimo três vezes por semana, meu filho então, tomava aqueles banhos demorados, deixava a torneira ligada enquanto escovava os dentes e nem pensava. Agora, se eu vejo alguém lavando a calçada perto da minha casa, eu já fico inconformada.”

A longo prazo, uma das ações pensadas é a construção de novos reservatórios, como o São Lourenço, que ficará pronto em 2018.Porém, algumas empresas e também alguns paulistanos já se antecipam e procuram novas formas de adquirir água sem depender do estado. Uma destas formas é a construção de cisternas e poços artesianos.

A auxiliar Administrativa Valdene Araújo pensa na construção de poços “Estou construindo uma casa em Hortolândia e fiquei sabendo de pessoas que estão fazendo poços artesianos. Gostei da ideia e acho que é importante pensar em outras maneiras de conseguir água”, conta.

No vídeo abaixo, o geólogo Wlamir Martins, explica os cuidados que devem ser tomados na construção destes poços.

Leia mais sobre o tema.

Editado por Nathani Mota

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s