48% dos brasileiros apoiam liberação da maconha para uso medicinal, aponta pesquisa do DataSenado

Por Bruna de Oliveira

A favor ou contra? A legalização da maconha para uso terapêutico ou para qualquer fim divide opiniões no Brasil. Uma pesquisa de opinião do DataSenado, realizada no período de 6 de junho a 7 de julho deste ano, mostrou que 42% dos brasileiros entrevistados são contra a liberação da cannibis sativa, nome científico da maconha e 57% são a favor. Dos que são a favor, 48% concordam mas só para fins medicinais e 9% apoiam a legalização para todos os fins.

A pesquisa foi realizada em todos os estados brasileiros, com 1.106 pessoas maiores de 16 anos e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Quando o assunto é religião/crença,  é possível perceber opiniões opostas. Entre aqueles que se declararam católicos, 58% são a favor da legalização da maconha para uso da medicina, já entre os entrevistados que afirmaram não ter religião, os números sobem para 72%.

Na avaliação por região no país, há também diferença nos resultados, no Sul 64% dos entrevistados apoiam a legalização para uso medicinal, já no centro-oeste 45% compartilham da mesma opinião.

O estudante Thiago Carvalho é a favor da maconha para uso da medicina, mas é contra a legalização total, de uso livre. “Não encontro nenhum argumento contra usar a substância a favor da medicina, já que pode ajudar em muitos tratamentos”, diz o estudante.

O médico e psiquiatra formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp (FMC) José Carlos Souza não é favorável a legalização da substância, nem mesmo para uso medicinal, e afirma que existem várias alternativas terapêuticas que possam “substituir” a droga, pois seus efeitos colaterais podem ser irreversíveis . “Não consigo ver que os efeitos analgésicos que dizem dos componentes da maconha, sejam ser mais eficazes que outros medicamentos”, garante o médico. O Doutor ainda espera que não ocorra a liberação da droga no Brasil, para não haver arrependimentos como em Portugal, Holanda e Uruguai.

Na pesquisa do DataSenado, entre os entrevistados 82% afirmam que a maconha é porta de entrada para outras drogas. Entre os mais jovens de 16 a 19 anos, a porcentagem cai para 72%.

Caio Jhonathan, estudante de engenharia agronômica, concorda que a maconha é porta de entrada para outras drogas e revela sua posição sobre a legalização.“Assumo minha posição contrária a legalização da maconha para qualquer fim que seja, pois diversas experiências tem comprovado que se colocar numa balança os benefícios e malefícios da droga, a balança tende estar mais pesada para os malefícios. E por mais inovadora que seja, nenhuma medida tem resolvido problemas sociais ligados à droga”, afirma o estudante.

Clique aqui para ver a pesquisa na íntegra

Pesquisa de opinião sobre a legalização da maconha (Crédito: Bruna de Oliveira)
Pesquisa de opinião sobre a legalização da maconha (Crédito: Bruna de Oliveira)
Crédito: Bruna de Oliveira
Opinião entre as religiões (Crédito: Bruna de Oliveira)

Editado por Caio Coletti

2 comentários

  1. Pessoas que são contrárias a regulamentação das drogas, só podem ter fundamentos morais ou religiosos, pois racionais nenhum!
    O estudante afirma que a maconha é a porta de entrada pra outras drogas, isso é uma verdadeira falácia, não existe nenhum estudo cientifico que comprove isso, e mesmo assim, se fosse uma porta pra outras drogas, não seria a maconha em si, mas sim o fato de ela ser proibida, estando em poder de traficantes e criminosos, onde o consumidor acaba tendo o contato com outras drogas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s