Briga judicial gera transtornos em ruas de Campinas

Ao fundo, a rua Rafael Sanglioni, que obteve liminar favorável ao fechamento (Foto: Rodrigo Rabelo)
Ao fundo, a rua Rafael Sanglioni, que obteve liminar favorável ao fechamento (Foto: Rodrigo Rabelo)

Por Rodrigo Rabelo

A manhã desse sábado (31/05) começou diferente para os moradores das ruas Rafael Saglioni e Egle Moretti Belintani, ambas no Parque das Flores, em Campinas. Palco de uma batalha judicial e administrativa que já  se estende há 15 anos, envolvendo moradores favoráveis e contrários a transformação do bairro em Bolsão Residencial, e que ganhou um novo capítulo há 3 semanas, por ocasião da inauguração do Supermercado Dalben, cujo estacionamento é acessado pela segunda rua, desfavorável ao fechamento das vias do bairro.

Com a inauguração do supermercado, a Rua Rafael Sanglioni, anteriormente fechada com uma jardineira, amanheceu aberta para o tráfego de carros. Segundo um representante dessa rua, “com a demolição não autorizada da jardineira, o tráfego aumentou, numa estimativa grosseira, em 100%, recebendo movimento de moradores de outros bairros que viam nela uma forma de cortar caminho”.

Durante a semana, a reportagem do Digitais observou que, além dessa rua ser usada por clientes do supermercado, ela também passou a servir de atalho para quem pretendia chegar até as duas grandes universidades da região, PUC-Campinas e Unicamp, evitando trânsito.

 

Para evitar confrontos no cumprimento de liminar, foi necessária a presença da PM (Foto: Rodrigo Rabelo)
Para evitar confrontos no cumprimento de liminar, foi necessária a presença da PM (Foto: Rodrigo Rabelo)

 

Para conter esse novo fluxo, a Associação dos Moradores do Parque das Flores providenciou a construção de uma nova jardineira na Rafael Saglioni, fato que gerou polêmica entre os populares, chegando ao ponto de ser registrado um confronto, segundo testemunha, que afirma que “um motorista, que não mora no bairro, se irritou e começou a discutir com um dos pedreiros, tendo que ser contido para não partir para a agressão física”. Para evitar novos confrontos, foi necessária a intervenção da Polícia Militar, que enviou 2 viaturas e uma base móvel, mas, ainda segundo a testemunha, “a maioria dos motoristas, ao vêem o bloqueio, entendem e dão meia volta.”

Vista da rua Egle Moretti Belintani, contrária ao fechamento (Foto: Rodrigo Rabelo)
Vista da rua Egle Moretti Belintani, contrária ao fechamento (Foto: Rodrigo Rabelo)

Contrários ao fechamento, aqueles que residem na rua Egler Moretti Belintani questionam a legalidade de uma liminar favorável obtida nessa semana pelos moradores do Parque das Flores. Segundo uma moradora, “além da rua ser pública, não particular, como a discussão ainda corre na justiça, a via tem que ser mantida aberta até uma decisão final”. Além disso, outro morador afirma que, “com o fechamento da via, o trânsito nessa rua passa a insustentável, impossibilitando que os moradores consigam sair de sua casa em horários de pico”.

 

Editado por: Carol Estevam

2 comentários

  1. Não concordo com o fechamento, pagamos impostos e temos direito a esta via pública, existem duas escolas infantis na Santa Maria Rosselo e precisamos deste acesso ,será que não conseguem perceber que atrapalham o fluxo de vias já carregadas?

  2. O fechamento desta rua é para uma suposta valorização imobiliária das casas no bairro. Pura especulação imobiliária, travestida de melhoria da qualidade de vida e maior segurança. Enquanto isso, quem vive fora do bolsão e paga seus impostos não pode usufruir da rua que é pública.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s