Reformulação da Lei Seca muda hábitos em Barão Geraldo

Star Clean, em Barão Geraldo, teve clientes convertidos após reformulação da Lei Seca
Antigos clientes do Star Clean, em Barão Geraldo, mudaram postura após reformulação da Lei Seca

Por Pedro Lopes

A reformulação da Lei Seca, mais rigorosa após alterações estabelecidas no dia 29 de janeiro deste ano, obrigou o consumidor campineiro a mudar os seus hábitos na hora de se divertir. O que se percebe, é que os clientes, preocupados com a rigidez das novas regras e da fiscalização, deixaram os carros em suas garagens e optaram por bares mais próximos de suas casas.

Com a mudança no comportamento de seus frequentadores, o Bardana, bar e restaurante de Barão Geraldo, apostou em sua localização.  Ele fica situado próximo à Unicamp –  reduto de milhares de universitários – e conta com isso para aumentar seu faturamento. “Estamos em um ponto muito bom e já temos nosso público fiel. Muita gente vem a pé, principalmente nos últimos dois meses”, conta o gerente Diego Menezes.

Ele afirma que o Bardana entendeu a situação e fez transformações em seu cardápio. Os pratos executivos, carros-chefe do estabelecimento durante muito tempo, passaram a dividir as atenções com porções e bebidas alcoólicas. A iniciativa gerou resultados positivos: o movimento às sextas-feiras, antes um dia morno, cresceu cerca de 40%. “O medo que as pessoas têm de dirigir até o Cambuí, local onde a fiscalização é maior por conta da grande quantidade de bares, fez com que ganhássemos força às sextas”, comemora.

Rodrigo Gustavo, dono do Marambar, também ao lado da Unicamp, revela que a mudança no comportamento de seu público, formado majoritariamente por universitários, é evidente. Tradicionalmente contidos na hora de abrir a carteira, os estudantes agora recorrem aos táxis na hora de deixar o bar.  “Quem vinha de carro vem a pé. E muita gente vai embora de táxi, o que era impensável há algum tempo”, diz, surpreso.

No entanto, o proprietário do Marambar, que está no comando do local há 3 anos e 9 meses, lamenta a queda em seu faturamento e enxerga como um possível reflexo da nova lei: “é o ano mais fraco que eu já tive aqui”.

Gisele Gasques, garçonete do Star Clean, que funciona com uma unidade no Guanabara e outra em Barão Geraldo, diz, em tom de brincadeira, que a Lei Seca “transformou” alguns antigos consumidores em abstêmios. “Quando estão dirigindo, alguns fregueses que sempre vinham tomar cerveja optam por refrigerante, água ou suco. O que uma lei não é capaz de fazer?”, conclui.

Editado por Lúcia Maroni e Stéphanie Segal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s