Intercâmbio: dificuldades ajudam no amadurecimento dos jovens

Rayssa Fagundes

Viajar, conhecer um país, uma nova língua, pessoas diferentes; É o sonho de muitos. Tanto que nos últimos anos o número de estudantes que fazem intercâmbio tem aumentado consideravelmente. Segundo a Belta (Associação Brasileira de Operadores de Viagens Educacionais e Culturais), em 2011 cerca de 215 mil pessoas fizeram algum tipo de curso no exterior e neste ano a estimativa é que o número passe de 280 mil.
Ficar longe da família, conviver com língua e cultura diferentes são dificuldades que todos enfrentam, mas que servem de aprendizado. Segundo a psicóloga da PUC- Campinas, Rita Khater, não há como generalizar, mas experiências como estas refletem na autonomia dos jovens, no amadurecimento, proporcionando uma nova visão de mundo.
O Digitais conversou com algumas pessoas que já fizeram passaram por esta experiência e todas concordam que as dificuldades de adaptação existem, mas que o aprendizado e a bagagem cultural que adquirem fazem valer a pena.

Compartilhando experiências:
Há quase um ano em Portugal, a estudante de jornalismo, Giuliana Wolf contou ao Digitais um pouco de sua experiência que, segundo ela, não é muito diferente de um aluno que muda de cidade ao entrar na faculdade, é um momento de crescer e aprender a fazer as coisas por conta própria, como cozinhar e controlar gastos.
Giuliana conta que este já é seu segundo intercâmbio, conseguido através de um processo seletivo realizado pela PUC- Campinas. O primeiro foi para Argentina, onde estudou espanhol durante três meses. Contudo, em Portugal as coisas foram mais complicadas, pois a cultura é muito diferente e as pessoas são mais reservadas, algo que ela teve que aprender a lidar. “As pessoas às vezes olham as fotos e acham que é tudo muito fácil. É muito bom viajar e conhecer coisas diferentes, mas não é fácil. Temos que aprender a cultura e até como conversar sem invadir o espaço deles. Passamos por vários perrengues”.
Pensando em registrar as histórias que vivia foi que surgiu a ideia de criar um blog, o Viagem Tipo Exportação. Inicialmente o espaço era usado como um lugar para desabafar e deixar família e amigos interados de sua vida, mas acabou servindo como um espaço para compartilhar experiências, dar dicas para aqueles que estão fazendo ou ainda pretendem fazer intercâmbio.
Ela conta que não esperava que seus posts tivessem retornos, mas conforme ia abastecendo o blog com seus textos, descobriu que estava chegando às pessoas “Muitas pessoas que eu nem era amiga e estão aqui em Porto vêm me dizer que leram, que usaram alguma dica quando foram para alguma cidade, esse tipo de coisa. Eu fico super contente, gosto de saber que tá sendo útil para alguém”.
Se você pretende estudar fora, viajar a turismo ou se tem apenas curiosidade de saber como é a vida de um intercambista, assim como Giuliana, diversas pessoas que já passaram pela experiência compartilham histórias e dicas na web. O Digitais listou alguns para vocês:
http://www.intercambioaz.com.br
http://www.embaixadorstb.com.br
http://www.sendointercambista.blogspot.com.br
http://www.marcelogoes.com.br

Editado por Raphael Gnipper

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s