Pesquisa transforma amido em plástico biodegradável resistente

Artur Vergennes

O uso de amido na criação de plásticos biodegradáveis de boa resistência está se tornando realidade na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).  Um estudo está criando, a partir do amido, um material com as mesmas propriedades do plástico, mas com vantagens financeiras e ambientais. O objetivo do estudo é substituir o plástico convencional por um biodegradável. O trabalho foi desenvolvido pela mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Materiais Adriane Medeiros Ferreira.

Foto: Artur Vergennes
Adriane Medeiros Ferreira durante apresentação de sua pesquisa

As vantagens dos produtos obtidos a partir de amido termoplástico é que eles são mais baratos que os plásticos derivados de petróleo e possuem a vantagem de serem biodegradáveis. Além disso, o amido termoplástico pode ser processado nos mesmos equipamentos tradicionalmente empregados para o processamento dos plásticos convencionais, não sendo necessário nenhum gasto extra para sua utilização.” Com essa modificação química o material apresentou um aumento em suas propriedades mecânicas e uma diminuição na sua capacidade de absorção de água, que era o objetivo do estudo”, garante Adriane. Com isso, esse novo plástico teria a mesma resistência do plástico convencional, algo ainda não alcançado na criação de plásticos biodegradáveis.

De acordo com o trabalho, o material poderá ser aplicado principalmente em produtos descartáveis como sacolas plásticas e copos, mas para ser lançado comercialmente ainda são necessárias algumas adequações. Tendo como base o apelo ambiental sobretudo no uso de sacolas plásticas em supermercados, o estudo ganha ainda mais importância.

O amido, reserva de alimentos de plantas como o milho, arroz e mandioca, é encontrado abundantemente no Brasil graças ao cultivo extensivo e intensivo de cereais, além de ser renovável e possuir custo relativamente baixo. Ele também é um importante segmento da economia e pode ser convertido química, física e biologicamente em compostos úteis à indústria. Sob pressão e temperatura, e na presença de um agente plastificante, a substância pode ser gelatinizada e, sob o efeito de cisalhamento, também pode se transformar em um material fundido, denominado amido termoplástico (TPS).

Editado por José Guilherme Silveira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s