Jornalista Renato Pompeu analisa as mídias no dia do profissional

No dia 7 de abril comemora-se o Dia do Jornalista no Brasil. Representando a classe, o jornalista e escritor Renato Ribeiro Pompeu, durante entrevista ao Digitais, destacou que as mídias devem e precisam ser valorizadas e fortalecidas para que a informação, que é a ferramenta dos jornalistas,  seja tratada como um benefício social e não como uma mercadoria de interesses alheios, já que sabemos quem são os principais alvos dos jornalistas. “As quase totalidades das mídias insistem em agradar ao leitor e não em informá-lo adequadamente, mesmo que a informação seja desagradável”, disse Pompeu.

Reprodução
Renato Pompeu expõe sua opinião sobre a atividade jornalística hoje

Ele afirmou também que hoje não é possível sobreviver sem estar bem informado, mas que os profissionais da área devem tomar muito cuidado ao lidar com temas de interesses públicos. “Alguns jornalistas pecam ao não saber passar uma boa informação que comprovem os seus reais pressupostos ideológicos”.

Segundo Pompeu, um erro cometido pelos jornalistas é não saber passar uma informação por não terem o comprometimento em validá-las, ou seja, a falta de compromisso com a pesquisa prejudica o restante da matéria. “Não tem falha maior ao conferir uma notícia e ver que cada um falou o mesmo acontecimento de diferentes maneiras a respeito daquele fato. No fim, descobrimos que ninguém passou a informação corretamente, afinal, em quem devemos acreditar?”, questionou o jornalista.

Referente à linguagem jornalística utlizada 20 anos atrás,  o jornalista afirmou  que ela se diferenciou da que lidamos hoje devido aos efeitos do lead, que desde então sofreu várias alterações e a cada transformação, seja ela na pequena ou grande mídia, nota-se a diferença entre a composição das palavras. No momento, as publicações menores mantêm as características de suas linguagens mais informativas e as grandes mídias fazem textos de caráter promocional, para a maioria das vezes venderem determinados produtos.

Para finalizar, Pompeu completou que o que falta para incrementar o jornalismo brasileiro é um maior respeito pelos fatos e uma abertura para não omitir o que é relevante, ainda que desmintam a linha editorial da publicação.

A comemoração

A comemoração foi criada pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) como homenagem a Giovanni Battista Libero Badaró, além de ser o dia da Fundação da própria ABI. Giovanni Badaró foi assassinado no dia 22 de novembro de 1830, em São Paulo, por alguns dos seus inimigos políticos. O movimento popular que se gerou por causa do seu assassinato levou a que D. Pedro I abdicasse em 1831, no dia 7 de abril.

Para saber mais sobre o atual jornalismo de Renato Pompeu, acesse o Blog do Renatão

4 comentários

  1. Não tenho dúvidas sobre o que o Jornalista Renato Pompeu ressalta. O jornalismo de hoje precisa de um cuidado maior, não é só escrever o que entendeu, é mais do que isso, é preciso interpretar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s