Crises alérgicas aumentam no Outono: previna-se

O outono chegou e promete aliviar a forte onda de calor que vêm assolando o país. Infelizmente, é nessa época do ano que há os maiores índices de alergias respiratórias. Isso acontece porque as temperaturas mais amenas, a queda da umidade no ar e a falta de chuvas propiciam o ressecamento das vias aéreas da população, tornando-a mais suscetível às crises alérgicas.

De acordo com Fábio Morato Castro, professor e alergista da USP, as duas doenças mais comuns da época são a asma e a rinite, processos alérgicos de defesa do corpo contra alguma ‘ameaça’ do meio. Segundo Castro, ambas as alergias têm sintomas fáceis de serem percebidos e são facilmente tratadas. “No caso da rinite alérgica, os principais sintomas são espirros, coceira no nariz, coriza e a obstrução nasal; e no caso da asma, tosse, chiado, falta de ar e sensação de aperto no peito”, explica. “O tratamento é simples e pode ser dividido em três partes: primeiramente, evitar o alérgeno, depois, o tratamento médico; e por último, a imunoterapia.”

Podendo se assemelhar a um simples resfriado, os sintomas variam de intensidade de pessoa para pessoa, o que faz com que muitos dispensem auxílio médico. No entanto, o tratamento é necessário, e se não for feito pode levar a complicações, como as crises de sinusite aguda ou, no caso da asma, pode levar até à morte. “Mais de 2.500 pessoas morrem anualmente em decorrência da doença, que é totalmente tratável”, adverte o livre-docente.

As principais causas e formas de prevenção

Animais de estimação

Animais de estimação são o pesadelo de qualquer alérgico. Além dos próprios pêlos, que se soltam e ficam em suspensão no ar, a pele de gatos e cachorros produz uma fina caspa que é altamente irritante para as vias aéreas.

Como evitar?

Nada de ficar beijando ou abracando os bichinhos. Mantenha-os distante e não os deixe entrar nos ambientes que se passa mais tempo (quarto, sala de estar, etc)

Pólen

Esse artifício da natureza para a polinização é extremamente eficiente, mas acaba por entrar pelas narinas e se fixar as paredes nasais. O resultado: a famosa ‘febre do feno’, ou rinite alérgica.

Como evitar?

Não há muito como evitar o pólen, mas não trazer plantas em floração para dentro de casa é uma boa alternativa.

Fungos

A falta de umidade do Outono e o aumento do tempo dentro de casa propiciam a proliferação dos fungos em ambientes sem ventilação.

Como evitar?

Apesar do frio, abrir as janelas e permitir que o ar circule. Fazer a limpeza mensal dos armários da casa.

Ácaros

Eles estão por toda a parte. Cobertores, travesseiros, cama, sofá… Se alimentam de restos de pele humana e se reproduzem rapidamente. Para evitá-los, só é preciso uma informação: O que causa a rinite não é a inalação dos bichinhos em si, mas de seus excrementos.

Como evitar?

Manter a casa limpa e bem arejada, se possível deixando travesseiros e cobertores ao sol.

Casacos empoeirados

Depois de muito tempo vestindo roupas leves, finalmente tiramos aqueles casacos do fundo do armário. A poeira acumulada durante os meses de descanso são receita simples para uma forte crise alérgica.

Como evitar?

Lave todas as roupas que estiveram guardadas por longos períodos e deixe-as ao sol, se possível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s